Um olhar além da culinária Balinesa

07.06.2017

Mesmo antes da minha partida do Brazil já estava com planos de fazer aulas de culinária em lugares onde eu curto a comida e Bali estava como primeiro lugar da lista. Tenho minha listinha de objetivos e este era um deles! Ano passado quando vim de férias para ilha fiz um tour pelo night market com um dos lugares que promove cursos por aqui e tinha mais ou menos marcado com eles a aula de iniciantes pois acontece apenas nas sextas-feiras. Como não me responderam há tempo confirmando eu acabei marcando em outro lugar e é impressionante como o universo conspira sempre para o melhor (amo isto!). Com a falta de resposta eu perguntei no meu hostel sobre a aula que eles ofereciam e que sorte a minha! Quando olhei na internet e vi que era na casa de uma família tradicional balinesa pensei na hora "é exatamente isto que eu queria!". A opção era muito melhor e mais inspiradora que o local anterior que inclusive os proprietários nem eram balineses. Obrigada Universo!
Foi então que cheguei na Jeding Bali Cooking Class, localizada no vilarejo Laplapan e fundada pelos irmãos Wayan e Nyoman há pouco mais de um ano quando tiveram uma visão de negócio que geraria mais renda o ano todo e não apenas em alta temporada. Ambos trabalhavam apenas com turismo anteriormente e ainda trabalham quando conseguem.


Bom, minha aula começou com o Nyoman me buscando no local combinado. Logo que chegou eu já era a "Miss Grazi" (adorei!) e fiquei sabendo que seria a única aluna naquela tarde. Novamente, que sorte a minha! Eu teria uma aula praticamente particular! :) Ele me explicou direitinho como tudo funcionaria e que iniciaríamos com uma visita aos campos (ou terraços) de arroz da família. É tradição em Bali as terras passarem de geração em geração e a família deles já está na quarta. Chegamos nos campos que eram lindos demais e estavam cheios de patos brancos e por lá entendi como funcionava a preparação da terra, plantação, colheita, quando tempo demorava cada etapa, quantos kilos produziam por ano e também como a água das montanhas chega até ali através dos canais da ilha. A produção de arroz é para consumo próprio, venda e para as aulas! Vale comentar que Bali tem um sistema mega engenhoso e poderoso de irrigação que vem direto das montanhas as quais são consideradas o foco e a fonte de inspiração das atividades diárias nos vilarejos (entendi que é a inspiração que vem do céu!). Além disto, o arroz tem um significado sagrado e geralmente é usado nas cerimônias e oferecido aos deuses em forma de bolos coloridos. Foi super interessante estar ali ouvindo ele falar e ver mais uma vez como a cultura familiar, as tradições e as crenças são extremamente fortes e valorizadas neste lugar tão espiritual e único!

 

Depois fomos para a casa onde aconteceria a aula e onde conheci o Wayan (o chef e com quem eu estava em contato por email)! Conversamos bastante e ele me ensinou como fazer as oferendas. Em Bali também é tradição fazer oferendas três vezes aos dia como forma de agradecimento aos deuses e proteção. Perguntei, "e se alguém não fizer ou esquecer?", ele disse, "as pessoas podem ter problemas com os espíritos e não estarem protegidas.". Admiro demais a devoção a religião hindu e mais uma vez na minha trip me emocionei quando perguntei como eu deveria fazer com as minhas oferendas que levaria para o hostel. Ele me olhou bem nos olhos e me disse que a maior (na foto) deveria ficar num local mais alto para proteção e a pequena "just pray from your heart" e colocou a mão do lado esquerdo do peito. A magia da crença me pegou e quase não conseguir responder, lindo e verdadeiro demais o momento. Nestes momentos sempre lembro da minha família, minha base (e que morro de saudades!) e principalmente agradeço por tudo de especial que estou vivendo! Vale lembrar que Bali tem uma cultura própria e é a única ilha Hindu com influência budista da Indonésia (que tem 13700 ilhas e é um país predominantemente Islâmico).

 

Antes de partirmos para a cozinha ele ainda me explicou como funcionava a estrutura de uma casa balinesa (conhecidas como compound). Em Bali todas as casas tem o templo da família e foi muito legal porque ele começou a falar um monte de coisas e não conseguia anotar todos os termos até que ele mesmo escreveu pra mim nos meus notes comentando sobre o templo ser localizado no norte para seguir a localização da montanha , o lugar das cerimônias para o leste, o "bale daja" que é o quarto dos mais velhos mas que nos dias de casamento abriga os casais e eles não podem sair por 3 dias para trazer boa sorte, o "bale dauh" que é para os mais jovens e o "bale delod" que é a cozinha para o sul.
O que me chamou a atenção foi a questão do dormir com a cabeça para o leste que significa vida longa e para o norte é riqueza. Adoro estas crenças e acredito muito! A casa deles é grande e deu para perceber que eles tem uma condição legal comparada com as famílias mais simples de Bali. Isto com certeza se deve ao fato de trabalharem e se dedicarem muito! Eles nunca param, apenas quando não tem clientes agendados.

Finalmente fomos para a cozinha! Ele começou me explicando os ingredientes que usaríamos para fazer os 9 pratos que fazem parte do menu da aula! Sim 9 pratos! Geralmente na aula da manhã eles vão ao mercado com os alunos mas pela tarde o mercado esta fechado então não pude participar desta parte.

 

O mais importante da cozinha balinesa é o molho base que se chama "basic sauce (basa gede)" e é usado para todas as comidas. Iniciamos pelo molho e fomos indo prato a prato com o suporte da esposa do Nyoman que ia lavando e organizando as coisas pra gente. Durante a tarde ajudei a cortar os ingredientes, amassar, fritar, e preparar os pratos atenta a tudo que o Wyana me falava. No meio de todas as tarefas fui conversando com ele e fazendo perguntas já que tive a grande vantagem de estar sozinha e participar de tudo. Fizemos todos os pratos e ainda ganhei uma cópia das receitas (que guardarei comigo até o final hehe!)! yay! O que eu mais curti foi o "fried corn dumpling (pergedel jagung)" que é tipo um bolinho frito de milho doce (muito bom!!), "sweet tempe (tempe manis)" que é um tipo de tofu frito e depois misturado a um molho de soja doce e a sobremesa (uma panqueca recheada com "coconut e palm sugar") porque me fez lembrar do projeto da minha amiga Rose querida! Foi uma tarde diferente onde eu aprendi algumas receitas mas principalmente pude sentir a cultura e as pessoas de perto! Esta é a forma mais marcante de viajar e a que mais te acrescenta! Ter este contato com os locais é o que te faz levar para sempre algo especial dos lugares que você passa! Então, para quem vier para a colorida e mágica Bali, não precisa nem pensar duas vezes se quiser fazer uma aula de culinária com o Wyana, super indico! Ah, e no final você pode almoçar ou jantar lá (dependendo do horário da aula) ou eles empacotam toca a comida para você levar para casa! Demais! :) Terima kasih Jeding Cooking Bali!

 

 

 

Compartilhar
Curtir
Please reload

SOBRE A AUTORA

Olá, meu nome é Grazi Inácio, sou empreendedora, gestora de projetos encantada por projetos sociais, viajante, palestrante, quase escritora :), uma apaixonada por viagens, pelo mundo e pelo poder positivo das conexões entre pessoas. Tenho 41 anos, trabalhei por quase 14 anos em uma multinacional coordenando projetos globais na área de tecnologia e trabalhando com pessoas distribuídas por vários países....

SIGA NAS REDES SOCIAIS:
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn ícone social

©2017 FOLLOW ME POR AI. Todos os direitos reservados.

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn ícone social
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now