Myanmar: o país especial dos milhares de templos e pagodas

16.04.2018

( Myanmar: The special country with thousands of temples and pagodas )

 

Quando retornei de viagem para o Brasil, um dia alguém me pediu para definir "com apenas uma palavra" cada país que eu tinha visitado em 2017. Eu nunca tinha pensado nisto, mas achei muito legal e confesso que o exercício gerou um sentimento de muita felicidade, porque me fez pensar em cada um dos 17 países novamente, o que eles tinham significado e o que mais tinha me marcado. A palavra que usei para Myanmar foi "especial", porque este país é "especialmente diferente e especial". No final deste post, explicarei porque :).
Depois de 4 semanas viajando pela Malásia e Sri Lanka, eu e Jana chegamos em Myanmar no final de Agosto de 2017. Nos conhecíamos muito melhor, entendíamos o que cada uma gostava, o que não curtíamos, e principalmente, nosso ritmo de viagem juntas. Eu gostava de acordar cedo, tomar café, aproveitar o momento da manhã para organizar minhas coisas e escrever, a Jana não tomava café e dormia até mais tarde. hehehe De qualquer forma, nossa amizade estava em perfeita sintonia. As semanas que seguiram não tinham como não ser "especiais". Algumas pessoas podem pensar que um mês é muito pouco para conhecer alguém, mas quando você está viajando não é. A intensidade das relações durante viagens longas é, praticamente, exponencial. E isto se explica de uma maneira muito fácil: você convive e compartilha momentos com seu amigo viajante 24 horas por dia. É muito bom! :)
Myanmar foi lindo! Foram 3 semanas por lá e nosso roteiro iniciou em Yangon, depois passou por Bagan, Inle Lake, Hispaw, Pyin Oo Lwin e Mandalay.
Em Yangon, tive a oportunidade de conhecer um dos lugares budistas mais bonitos que já visitei na Ásia, a "Shwedagon Pagoda" (mas meu templo favorito ainda é o Borobudur, em Java na Indonésia!). Esta pagoda é de uma grandiosidade inexplicável, uma cor dourada incrível e uma vibe sensacional. Recebemos a dica de ir a noite e não nos arrependemos, o lugar é simplesmente maravilhoso.

Além disto, foi nesta cidade que conhecemos, no hostel onde estávamos hospedadas, nosso grupo de amigos Boby, Mai, Kevin e Pia. Durante o tempo que viajamos pelo país, foi muito legal sentir a conexão instantânea e verdadeira que rolou entre nós. Aqueles encontros difíceis de explicar com palavras, mas que sempre agradeço ao meu grande amigo e companheiro "Universo".

(ENG: One day, after I came back to Brazil, someone asked me to define each country I visited in 2017 with one word only. I have never thought about it, but It was a nice exercise which made me feel happy as I had to think about each country again and what they meant to me. The word I used for Myanmar was "special", because this country is "specially different and special". In the end of this post I am going to explain why...

After 4 weeks traveling in Malaysia and Sri Lanka, Jana and I arrived in Myanmar by end of Aug 2017. We knew each other better already, we could understand what each of us like/don't like, and mainly, we knew our travel pace together. I was a morning girl, she was not. I liked to wake up early every day, have breakfast and use my morning time to organize stuff and write. She doesn't eat breakfast every day and she likes to sleep. heheheh Anyway, our friendship was in perfect mood. There was no way the upcoming weeks wouldn't be "special". Some people can think that one month is too short to know someone, but it is not when you are traveling. The relationships become much more intense during long term trips and it is not hard to explain: you live and share moments with your travel friend 24 hours per day. It is very good!

Myanmar was beautiful! It was 3 weeks and our tour started in Yangon, followed by Bagan, Inle Lake, Hispaw, Pyin Oo Lwin and Mandalay.In Yangon, I had the opportunity to visit one of the most beautiful temples I have visited in Asia, the "Shwedagon Pagoda" (but my favorite one is still Borobudur temple located in Java - Indonesia!). I can't explain with words how huge it is, but it has an incredible golden color and the vibe is amazing. We have decided to visit at night and we haven't regretted at all, the place is fantastic. Besides that, Yangon was the city where we met our friends Boby, Mai, Kevin and Pia. While we were traveling the country, It was very nice to feel the instant and true connecting among us. We met them in the hostel we were staying.)

 

Num dos dias pela cidade, decidimos fazer a rota do "circular train", que é um trem local e, sem dúvida, a melhor forma de ver Yangon, ter uma experiência real junto aos locais e observar a vida que se passa dentro e fora dos vagões. Fomos eu, Jana, Boby e Pia. O trajeto durou 3 horas e custou, na época, aproximadamente $1.3. Foi demais! Nem senti o tempo passar, fiquei fascinada pelas pessoas usando "tanaka" (tipo uma maquiagem no rosto), os vendedores, as crianças, os monges, o barulho do trem e todo aquele cenário peculiar. A cada estação era uma surpresa no entra e sai, mas uma rotina normal para os locais. A mistura de cenas me deixou curiosa, mas ao mesmo tempo triste quando resolvi reparar na vida que se passava na parte de fora do trem. Muita pobreza e uma quantidade enorme de lixo pelo trajeto.....Infelizmente, a realidade dura do país mais pobre do sul do Ásia, que segundo dados atuais tem mais de 25% da população abaixo da linha de pobreza. Depois do passeio fomos comer "shan noodle soup" (uma sopa com massa) num restaurante bem local. Adorei! (ENG: In the next days, we decided to take the "circular train" which is the best way to see Yangon city, have a local experience and observe the life inside and outside of the wagons. The duration of the ride is 3 hours and the cost by that time was around $1.3. It was amazing! I haven't seen the time passing, I was fascinated by the people using "tanaka" (like a make up), the sellers, the kids, the monks, the noise and all that scenes. Each station was a surprise for us, but a routine for the locals. The mix of the scenes made me curious, but at the same time sad when I noticed the life outside of the train. So much poverity and a huge amount of trash all the way....Unfortunately, this is the reality of the poorest country in Southeast Asia. Myanmar has 25% of its population below the poverty line. After this tour, we went for lunch at "shan noodle soup", which is a very good local restaurant. I love it!)

 

Confesso que não lembro quantos dias ficamos em Yangon, mas foi muito legal para ter uma primeira "percepção" boa do país e das pessoas.
De lá, partimos eu, Jana, Mai e Kevin de trem para Bagan. Como estávamos em 4 pessoas e compramos um ticket "upper class" (que não era bem um upper class hehehe), conseguimos ficar os 4 juntos no mesmo vagão. O nosso vagão era um espaço com 2 camas em cima, dois sofás-cama em baixo, duas mesinhas e "NO ar condicionado", é claro. O banheiro não era algo limpo e tinha um buraco onde você conseguia, até mesmo, ver os trilhos. Não preciso nem dizer que tudo que os passageiros faziam no banheiro ia direto para o chão! Pois é, isto é Ásia!
A viagem durou longas 18 horas e não saimos nenhuma vez do vagão. Digamos que foi uma aventura e tanto, pois o trem balançava bastante e a minha impressão era que ele ia sair dos trilhos a qualquer momento. Mas independente, foi uma experiência super única e diferente, pois nos permitiu apreciar as paisagens pitorescas de Myanmar, conhecer vilarejos e conversar com locais que vinham até a janela quando o trem parava. Além disto, rimos muito juntos e tivemos a chance de ver um pôr do sol maravilhoso da janela do nosso assento. Curti demais, mas acho que este trajeto eu não faria pela segunda vez hehehe.
(ENG: I have to confess that I dont remember how many days we stayed in Yangon, but It was a very nice stay to have the first perception of the country and people. From there, Jana, Mai, Kevin and I took the train to Bagan. As we were 4 people and bougth the uppper class tickets (which was not an upper class lol!), we could stay together in the same wagon. Our wagon was basically 2 upper beds, 2 bottom couches, 2 tables and NO air conditioning of course. Our toilet was something "not so clean" and it had a hole where you could see the rails. I dont have to say that everything done in the toilets was going directly to the rails! Yes, this is Asia! The journey took 18 hours (yes!) and during this time we couldn't leave the wagon. It was a big adventure! The train was very noisy, shaky and my impression was that it would get off the rails anytime. Anyway, it was a very unique and different experience. We saw beautiful landscapes, local villages, we talked to locals that came to our window during the stops at the stations, we laugh a lot together and, we had the opportunity to see a stunning sunset from our seats. I liked it a lot, but I dont think I would do that ride again! hehe)

 

Chegamos em Bagan pela manhã e com algumas horas de atraso. Descemos na estação bem cansados e tive um momento de estresse total na minha trip (me perdi completamente! kkk). Apenas para contextualizar, não tive muitos problemas de estresse durante esta minha caminhada pela Ásia, mas a única coisa que me incomodava  eram os tuktuks que queriam sempre se aproveitar dos viajantes. Uma boa prática que tínhamos era de perguntar antes quanto custaria o transporte até a acomodação, e não foi diferente em Bagan. Só que quando chegamos na estação o motorista queria nos cobrar 4x o valor da corrida. Aquilo não fazia nenhum sentido e como estava cansada, briguei, discuti, falei para ele não falar mais com a  gente (porque ele ficava nos seguindo) e acabei ficando famosa entre os meus amigos como a "brazilian dragon" (dragão brasileiro). Nada justifica não ser gentil, mas o motorista era tão do mal que ele até anotou a placa do outro que foi nos buscar pelo preço correto. Pode isto? :)
Passado o episódio da estação, chegamos no nosso hostel que se chamava "Ostello Bello". Meu foco nos meus posts sempre é contar minhas histórias de viagem e não dar dica de lugares para se hospedar, mas este hostel é muito legal e vale muito a pena ficar lá. A vibe do lugar é incrível (apesar do calor insano de Bagan! kk) e eles tem um agenda de atividades "free" que facilita muito socializar, fazer novos amigos e explorar a cidade. Fica a dica! Neste hostel reencontramos o Boby e a Pia.
(ENG: Next morning we arrived in Bagan a bit delayed and we were all very tired. As soon as I got there I had a very stressful moment of my trip (lose my mind completely! lol). Just to give some context, I haven't had too many stressful moments during my journey in Asia, but the only thing that bothered me a lot was the tuktuk drivers trying to take advantage all the time. Jana and I had a good practice to always ask the cost of the transportation to the hostel, but the problem was that the driver in the station wanted to charge us 4x the price we had in mind. Things were not making any sense to me and I started to argue, scream and told the drive to stop talking to us as he was following us everywhere. No reason to be unkind to people, but I was tired and he was not a nice person. Can you believe that he has even taken notes of the license plate of the other driver that came to pick us at the station? After all these events, I became famous among my friends as the "Brazilian dragon" LOL. Driver issue resolved and we finally arrived at our hostel which was called "Ostello Bello". The focus of my posts is always to tell my stories and don't recommend places to stay, but this hostel is very good and it is worth it to stay there. The place has an incredible vibe and a nice list of "free" activities, which helps you to make friends and explore the city. At this hostel we met Bobby and Pia again.)

 

Bom, mas o que falar de Bagan? Bagan é um lugar com uma atmosfera inacreditável e diferente de qualquer lugar que visitei na Ásia. Imagina a sensação de estar rodeado por "milhares" de monumentos budistas? Sim, a cidade tem mais de 4000 mil, dentre templos, pagodas, estupas e monastérios. O lugar é mágico, mas de uma simplicidade surpreendente que ganhou meu coração.

O legal de lá é poder explorar os templos de motoquinhas elétricas, pois é proibido para turistas usar motinhos normais a gasolina. Amei os momentos de assistir o nascer ou pôr do sol nos templos, curtindo aquela energia e contemplando a imagem surreal e infinita de templos! É lindo demais! (--> Importante: É necessário cobrir os ombros e pernas e tirar os sapatos nos templos em sinal de respeito. Na maioria dos templos não tem ninguém controlando a vestimenta, mas isto não quer dizer que você não tem que seguir as regras e respeitar o local e a religião deles. Fica a dica!). (ENG: So, what can I say about Bagan? Bagan has an unbelievible atmosphere and it is different from every place I had the opportunity to visit in Asia. Can you imagine the feeling to be surrounded by thousands of budhists monuments? Yes, the city has more than 4000 including temples, pagodas, stupas and monasteries. The place is just magic with a simplicity that got all my heart. The nice thing there is to be able to explore the templos by eletrict motorbikes as the normal ones are forbidden. I loved the moments watching the sunrises and sunsets at the top of  the temples where we could enjoy the energy and contemplante the "infinite view" of temples. It is sooo beautiful! (Important note: It is mandatory to cover your legs, cover your shoulders and remove your shoes before going inside the temples. This is a sign of respect. In most of the temples you will not find people checking if travelers are using the right clothes, but it doesnt mean you dont have to follow the rules and repect the religion.)

 

​​Bagan sofreu muito com os terremotos de 1975 e 2016 e não é considerada Patrimônio Mundial pela Unesco em função dos monumentos terem sido restaurados com material  moderno e não respeitando o estilo de antigamente. Independente disto, a cidade continua extremamente fotogênica e incrivelmente fascinante. Nunca vou esquecer na minha vida as imagens lindas do sol nascendo e se pondo em Bagan! E as marionetes de pano coloridas penduradas por todo lado? Não teve como não se sentir criança! Que lugar especial! (ENG: Bagan has suffered a lot with the earthquakes from 1975 and 2016. The city is not considered Unesco Worl Heritage due to the fact that the monuments have heen restaured using inadequate materials without respecting the old construction. Apart from that, the city still extremely photogenic and incredibly fascinating. I will never forget in my lifetime all the beautiful moments watching the sunrises and sunsets in Bagan! What about the colorful puppets hanging everywhere? Made me feel like a kid again! What a special place!)

 

Partimos de ônibus para Nyaung Shwe, a cidade onde fica o Inle Lake. Nosso plano inicial era de ficar apenas 2 noites, mas como a Jana já chegou lá doente, decidimos estender para 3 noites. Nossos amigos chegaram e ficamos mais uma, a Jana ficou ainda mais doente e ficamos a quinta noite para ela se recuperar, mas no final acabamos ficando 6 noites por lá . Os dias foram mais de vida normal naquele momento, mas teve tour de barco pelo rio para ver os famosos pescadores que praticamente dançam pescando, teve aula de culinária com locais num dos muitos vilarejos flutuantes, teve cerveja no rooftop do hostel, teve banda de bike pela região com direito a banho de chuva e teve reencontro especial com amigos que nos acompanharam desde Yangon. (ENG: We left by bus to Nyaung Shwe, the city where Inle Lake is located. Our initial plan was to stay 2 nights there, but Jana was sick so we decided to extend 1 night. Our friends arrived and we extended another night. Jana became more sick and we decided to stay 5 nights for her to recover completely. We ended up staying 6 nights there :). The days were more like normal life by that moment, but we did a boat tour to watch the famous fishermen that seems to be dancing when fishing, we did a cooking class in one of the local floating villages, we had fund and beers in the hostel rooftop, we did a bike tour to explore the region and, most important, we had a very special reunion with friends that were follwing us since Yangon.)

 

Uma coisa legal que aconteceu em Inle Lake foi nossa ida ao "Innlay hut - Indian Food House", um restaurante de um fã do Eminem. Quando você chega, se depara com um lugar todo decorado em homenagem ao cantor. É muito irado e o dono é uma figura! Mais uma vez vou precisar dar uma dica: não deixem de ir neste lugar se estiverem em Nyaung Shwe. Atendimento é feito com todo carinho pelo próprio dono e a comida é de primeira! Nos divertimos muito neste dia !
Não poderia, também, deixar de falar um pouco mais da nossa aula de culinária na "Mr Min Cooking School". Em todos os meus posts eu sempre reforço o quanto eu gosto de experiências mais locais e este dia foi daqueles que eu simplesmente amo nas minhas trips. Foi o momento de aprender a cozinhar numa cozinha flutuante de um vilarejo local. Recebi esta dica da minha querida amiga Dorrie, com quem fiz trabalho voluntário no Laos. Dica top! Não é um passeio barato (custou em torno de $30), mas valeu muito a pena. Nosso dia começou indo de barco até o mercado local, onde acompanhamos o Mr Min escolher e nos ensinar sobre todos os ingredientes que usaríamos durante a aula. Adoro os mercados locais de qualquer lugar na Ásia, é algo chocante mas maravilhoso ao mesmo tempo. O que mais me choca é a falta de higiene e as carnes fora da refrigeração, mas faz parte da experiência divertida, cheia de vida e colorida dos mercados asiáticos :). Depois fomos direto para a cozinha, onde aprendemos 8 pratos da culinária birmanês, sempre muito bem orientadas pelo Mr Min e sua esposa. O meu prato favorito em Myanmar foi a salada de tomate (verde ou vermelho) com amendoin. Nem lembro quantas vezes comi, era muitooo bom!! Após a aula, foi o momento de saborear os pratos num deck lindo, onde pudemos apreciar a vista do vilarejo. Foi muito legal! E depois de tudo, ainda ganhamos um tour de canoa. Que dia especial!
(ENG: Something cool that happened in Inle Lake was our visit to "Innlay hut - Indian Food House". It is a restaurant owned by a fan of Eminem, so when you arrive there you will find a place with a tribute to the singer in the walls. It is so nice and the owner is super funny! Dont miss this place if you go to Nyaung Shwe, the service is carefully done by the owner and the food is delicious! We had a lot of fun this day! I couldnt miss the opportunity to say something about our cooking class at "Mr Min Cooking School". In all my posts I always reinfoce how much I like to have local experiences and this was one of those days I love during my trips. It was the moment to learn how to cook in a local floating kitchen. I got this recommendation from my sweet friend Dorrie, who I meet while doing volunteering in Laos. This is not a cheap thing to do but it is totally worth it (the cost was around $30). Our day started in a boat going to the local market , where we could learn from Mr Min choosing all ingredients we would use during the class. I love the local markets in Asia, it is something that makes me feel shocked but amazed at the same time. What shocks me most is the lack of hygiene but it is part of the funny, live and colorful experience of asian markets. After buying all we need we went directly to the kitchen where we learned 8 Burmese dishes, always very well supported by Mr Min and his lovely wife. My favorite dish in Myanmar was the tomato salada with peanuts. I cant remember how many times I ate that! I just loved it! Dishes done, it was the moment to tast all of them sitting in a beautiful deck where we could enjoy the view of the village. It was such a nice experience followed by a wood canoe ride. What a special day!)

 

Nossa passagem por Inle Lake foi, definitivamente, cheia de novos sabores e momentos especiais, mas, o mais importante, foi, mais uma vez, sentir o quanto as pessoas fazem a diferença na minha trajetória. A conexão com amigos foi muito verdadeira, nos divertimos, demos muitas risadas e fizemos parte da vida um do outro por vários dias. A intensidade e felicidade dos momentos juntos acabou gerando lágrimas quando começaram as despedidas, pois este era o último lugar que o grupo estaria reunido em Myanmar.
Do Inle Lake, partimos eu e Jana para Hispaw, uma cidade que só adicionamos no roteiro porque é de lá que parte o trem que passa pelo famoso "viaduto Goteik". Em função da nossa estadia longa em Inle Lake, tivemos apenas uma noite nesta cidade. De qualquer forma a simplicidade do lugar também me marcou. Os meninos da recepção e do restaraurante do nosso hotel eram de uma doçura que não teve como passarem despercebidos também. E nosso motorista de tuktuk? Nossa, pessoa iluminada.
Contratamos este tuk tuk para um tour e o motorista acabou nos surpreendendo de forma muito positiva. Mesmo sem saber falar inglês, ele fez de tudo para nos mostrar os lugares da forma mais carinhosa possível. Nos levou num monastério cheio de monges crianças e no "sunset hill". Este último lugar é lindo, uma paisagem verde maravilhosa misturada a vários pontos perdidos de fumaça. A vibe lá em cima foi demais! O custo do tour foi muito barato, mas mesmo assim ele fez questão de nos dar, de graça, a ida para a estação de trem no dia seguinte. Sim, de graça.
(ENG: Our stay in Inle lake was full of new tastes and special moments, but the best thing was to realize again how much the people make the difference in my journey. The connection with my friends was very real, we had lots of fun together and we were part of each others life for many days. The intensity of these happy moments ended up in tears during the good bye as Inle lake was the last place the group would be together. From Inle Lake, Jana and I left to Hispaw, a city added to our route just because of the famous "viaduct goteik". The train that cross the viaduct leaves from there, but because we stayed longer in Inle Lake we had just one night in the city. Anyway, the simplicity of this special place has touched me a lot. The boys from the hotel reception and restaurant were sooo sweet which is impossible not to remember. And what about our tuktuk driver? Just a enlightened person. We hired him for a tour and he surprised us in a very positive way. He couldnt speak english but it hasnt prevented him to show us around in a very kind way. He took us to a kids monastery and to the sunset hill, which has a beautiful green view mixed to many spots of smoke. The tour was very cheap, but he insisted to give us a free ride to the train station in the next day. Yes, for free.)

 

Chegamos na estação e ela já estava cheia de viajantes com suas mochilas aguardando para comprar o ticket. E qual não é nossa surpresa? O nosso motorista, pessoa com uma vida simples (e que infelizmente não lembro o nome), tinha nos levado de presente uma marmita porque a viagem levaria muitas horas. Eu e a Jana nos olhamos e confesso que não acreditamos em tamanha gentileza, já que para comprar aquele potinho de comida local ele deve ter gasto todo o dinheiro que pagamos pelo tour no dia anterior. Aquele gesto significou muito pra gente! Quanta vezes vemos este tipo de atitude no dia a dia das nossas vidas na nossa cidade natal? Muito amor e gratidão por este motorista! Que povo querido! (ENG: We arrived at the station and it was already full of travelers waiting to buy their tickets. And what was our surprise on that day? Our driver, someone that has a very simple life (don't remember his name!), brought some food to us because the ride would be too long. Jana an I looked at each other and couldn't believe in such gesture, mainly because he probably spent all the money we paied to him one day before. His attitude meant a lot to us! How many times do we see this kind of gesture in your day by day life back to our countries? Lots of love and grateful feeling for this driver. What a good and sweet person!)

 

Partimos de trem para Pyin Oo Lwin e eu super curiosa para chegar no famoso viaduto. Foram algumas horas mas o momento chegou! Mais de 100 metros de altura, janelas abertas, nenhuma proteção no trem e nos trilhos, e a Jana, praticamente, travou do meu lado hehehe (ela tem pânico de altura e eu tb kk!). O viaduto "Goteik" fica entre Hispaw e Pyin Oo Lwin, e é MUITOOO alto! Confesso que fiquei com as mãos suando e tremendo, mas a vista é simplesmente de tirar o fôlego! Na época, li num blog que quando você esta chegando perto o sentimento parece como da primeira vez passando numa ponte, e preciso dizer que parece mesmo! Minha percepção: sabe aquela sensação de quando a montanha russa para lá em cima antes de despencar na primeira descida? Senti algo parecido (com as devidas proporções!) quando o trem parou antes do túnel e iniciou a jornada pela ponte! Foi muito show! (ENG: We left by train to Pyin Oo Lwin and I was super curious to cross the viaduct. Took some hours but the moment has arrived! More than 100 meters high, windows open, no protection in the train, no protection in the rails and Jana has stopped breathing besides me (she is afraid of highs! me too!). The "Goteik viaduct" is located between Hispaw and Pyin Oo Lwin and it is VERY HIGH! I have to confess that my hands were sweating and shaking, but the view is just breathtaking! By that time, I read in a blog that the feeling during the ride is the same as the first time you cross a bridge. My perception: do you know that feeling when the rolercoaster stops on the top of the first hill? This was the feeling when the train stopped before starting the journey along the viaduct. It was amazing!)

Chegamos no nosso hotel e mais um momento doce com os locais. Imagina a cena de você fazendo check-in no balcão e quando se dá conta tem umas 5 pessoas ao teu redor querendo te ajudar a subir as escadas com as mochilas? Sim, eram 5! Fiquei até meio zonza com tanta gente heheheh. São momentos simples, e que para algumas pessoas pode não significar nada, mas gentileza genuina sempre me toca. Eles eram pessoas que mal falavam inglês, mas nos passaram um carinho gigantesco com aquele gesto. Todos os países da Ásia tem um povo acolhedor e receptivo, mas Myanmar é simplesmente diferente. Povo genuíno demais!

No outro dia partimos para Mandalay, o lugar que seria nossa despedida de Myanmar, mas também o início da minha despedida com a Jana. Coraçãozinho já estava apertado há alguns dias, mas não estávamos falando sobre isto. Em Mandalay nos hospedamos, também, no hostel "Ostello Bello" (mesma rede de Bagan) e de lá pegamos nosso vôo para Bangkok.
Na ida para o aeroporto a Jana estava em silêncio, de mãos dadas comigo e as lágrimas já escorriam no rosto dela. Fiz muito amigos na minha viagem, pessoas que carrego com muito amor no meu coração junto com todas as lembranças maravilhosas que vivenciamos juntos por este mundo, mas a Jana foi a pessoa com quem mais viajei pela Ásia e que tive a oportunidade de conhecer melhor. Fomos o porto seguro uma da outra por 7 semanas, vivemos experiências incríveis em 3 países, aprendemos muito uma com a o outra sobre convivência, sobre compartilhar, sobre flexibilizar e sobre o que é amizade verdadeira. Comecei esta aventura no escuro, sem saber se nossa viagem juntas funcionaria, mas terminei com a certeza que tinha encontrado minha travel soul mate e uma amiga para a vida. (ENG:  We arrived at the hotel and had another sweet moment with local people in Myanmar. Can you imagine you and your friend at the hotel check-in and, suddenly, there are 5 people (yes 5!) around you trying to help with the backpackers? I was feeling like "dizzy" with so many people surronding me, but in the other hand, I thought it was such a special moment. These simple moments might not mean anything to most of the people, but trully kind and genuine attitudes like that usually touches me. Those people barely speaks english, but we just felt the love coming from them. I consider all Asian countries very receptive, but Myanmar is differente. What a genuine people!

Next day we went to Mandalay, the place where we would say good bye to Myanmar, but also, would be my farewell with Jana. My heart was kind of hearting already for some days, but we were not talking about it. In Mandalay we slept in Ostello Bello as well, same hostel we stayed in Bagan. From there we took our flight to Bangkok.

Jana was pretty quiet on the way to the airport, we were holding hands and I could see tears in her face. I made a lot of friends during my trip, people I carry in my heart along with all the adventures and memories we enjoyed together around this world, but Jana was the one I travelled for more time and had the opportunity to know better. We were the "safe harbor" of each other for 7 weeks, we had amazing experiences in 3 countries, we learned a lot with each other about living together, about sharing, about flexibility and about true friendship. I started this journey in the dark, without knowing if our trip would work together, but when we ended it I was sure I found my travel sould mate and a friend for life.)

Aterrizamos em Bangkok e as lágrimas foram inevitáveis durante nosso abraço de despedida no aeroporto. Tinha chegado o momento de seguirmos nossos planos de viagem e continuarmos nosso caminho pelo mundo sozinhas. Saimos de lá tristes, mas felizes de termos nos conhecido em Bali. Tínhamos apenas uma certeza em mente, nos encontraríamos novamente um dia. E, é claro, o Universo nos ajudou neste aspecto ;).
Bom, mas como falei no início deste post, Myanmar é o país que defini como "especial". E porque escolhi esta palavra? Porque foi lá que eu conheci um país dourado com milhares de templos e pagodas, onde me senti criança novamente no meio das muitas marionetes coloridas, onde conheci amigos especiais, onde encontrei um  povo especialmente genuino e, principalmente, onde consolidei uma amizade linda para vida. Este último item teve, certamente, um peso muito grande na definição da palavra "especial". :) Myanmar é um país maravilhoso, um lugar ainda não tão turístico como outros países da Ásia e, na minha opinião, ele é um pedacinho do sudeste Ásiático que tem um charme todo próprio, simples e peculiar. Eu amei ter tido a oportunidade de conhecer!
(ENG: We landed in Bangkok and It was hard to avoid the tears in the airport. The moment to say good bye has arrived and it was time to follow our own travel plans. We left the airport with a sad feeling, but happy at the same time because our travel paths crossed in Bali few months back. Anyway, we had one thing in mind: "we would meet again one day again", and of course, the Universe helped us on that ! :) As I said in the beggining of this post, Myanmar was the country I defined as "special" and , why I choose this word? Because it was there that I found the golden country with thousands of temples and pagodas, where I felt a kid again in the middle of so many puppets, where I met special friends, where I found the most special and genuine local people and, mainly, where I consolidated a special friendship for life. This last reason played an important part in the definition of the word "special". ;) Myanmar is an amazing country, it is a place that still not so touristic as other countries in Asia and, in my opinion, it is a small piece of southeast Asia which has its own charm in a simple and peculiar way. I loved to have had the opportunity to know this place!)


Termino mais uma história de viagem com uma frase de Charles Chaplin: "..o mundo é de quem se atreve..". Ela me fez refletir e pensar: imagina se eu não tivesse me atrevido/arriscado a viajar com alguém que eu nem conhecia direito? Gratidão Universo! (ENG: I finish another travel story with this quote from Charles Chaplin: "..the world belongs to those who dare..". So, can you imagine if I had missed the opportunity to travel with someone I didnt know well? I just feel grateful and thankful to Universe!)

 

Obrigada Jana! Eu te amo!

(ENG: Thanks Jana! I love you!)

 

Ps1. Myanmar foi tão "especial" e genuina que, quando voltei a Bali em Outubro de 2017, fiz uma tatuagem em birmanês (a língua que se fala no país). (ENG: Myanmar was so special and genuine that I did a tattoo in burmese language when I came back to Bali in Oct 2017.)


Ps2. Para confirmar que o Universo é algo maravilhoso, eu e a Jana nos encontrando mais 3 vezes antes do meu retorno para o Brasil. Em Bali (Indonésia) em Out 2017, em Berlin (Alemanha) em Dez 2017 e em Porto (Portugal) em Jan 2018. Mantemos contato frequente até hoje e somos aquelas amigas que não se importam com os milhares de áudios do whatsapp com mais de 3 minutos! heheheheh (ENG: To confirm that the Universe is something amazing, Jana and I met 3 times before I came back home. In Bali, Berlin and Porto. We keep in touch until Today and we are that type of friends that dont mind to receive lots of 3 minutes voice messages in whatsapp. hehehe )


Ps3. A Mai e o Kevin foram os amigos que me receberam em Colonia (Alemanha) e onde passei o Ano Novo junto com a minha amiga holandesa Freeny Joosen. Foi muito top! (ENG: Mai and Kevin are the travels friends that hosted me in Cologne and where I spent the New Year's Eve with my dutch friend Freeny Joosen. It was super amazing!)

 

 



 

Compartilhar
Curtir
Please reload

SOBRE A AUTORA

Olá, meu nome é Grazi Inácio, sou empreendedora, gestora de projetos encantada por projetos sociais, viajante, palestrante, quase escritora :), uma apaixonada por viagens, pelo mundo e pelo poder positivo das conexões entre pessoas. Tenho 41 anos, trabalhei por quase 14 anos em uma multinacional coordenando projetos globais na área de tecnologia e trabalhando com pessoas distribuídas por vários países....

SIGA NAS REDES SOCIAIS:
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn ícone social

©2017 FOLLOW ME POR AI. Todos os direitos reservados.

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn ícone social
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now